Investimentos de Longo Prazo

Meus investimentos para longo prazo

IRPF 2011 – Declaração de investimentos

Posted by Fabrício Godoy em domingo, 27 março 2011

Ver o post mais atualizado IRPF 2013 – Declaração de investimentos.

Olá a todos, nesse post vou dar algumas dicas de como declarar alguns tipos de investimento à Receita Federal.
Eu escolho fazer uma declaração bem detalhada, provavelmente mais do que a maioria. Cabe a cada um decidir a profundidade de detalhamento necessária.

Índice

1. Poupança

1.1. Custódia

Para declaração de custódia de contas poupança, ir no item Bens e Direitos dentro do anexo Fichas da Declaração.

Clicar no botão Novo, para acrescentar um novo bem.

Preencher Código com o número 41 (Caderneta de poupança). Em Discriminação preencha com o Nome e CNPJ do banco custodiante.

Para finalizar preencha o valor custodiado no final do ano retrasado e no final do ano passado.

1.2. Rendimentos

Para declaração de rendimentos recebidos através de poupança, ir no item Rendimentos Isentos e Não-Tributáveis dentro do anexo Fichas da Declaração.

Preencher o valor do rendimento na linha 8 (Rendimentos de cadernetas de poupanças e letras hipotecárias).

2. Ações

2.1. Custódia

Para declaração de custódia de ações, ir no item Bens e Direitos dentro do anexo Fichas da Declaração.

Clicar no botão Novo, para acrescentar um novo bem.

Preencher Código com o número 31 (Ações). Em Discriminação preencha com o Nome e CNPJ da empresa representada pela ação e também a quantidade e data de aquisição das ações.

E, finalmente preencha o valor de aquisição custodiado no final do ano retrasado e no final do ano passado.

É importante enfatizar que sempre deve ser declarado o valor de aquisição, o valor não deve ser atualizado.

2.2. Dividendos

Para declaração do recebimento de dividendos, ir ao item Rendimentos Isentos e Não-Tributáveis dentro do anexo Fichas da Declaração.

Clicar no botão da linha 5 (Lucros e dividendos recebidos pelo titular e pelos dependentes).

Abrirá uma janela onde se deve preencher os dividendos recebidos de cada empresa, individualmente. Clique no botão Novo para acrescentar uma nova fonte pagadora.

Deverá ser preenchido o beneficiário, CNPJ, nome e valor total recebido no ano.

2.3. Juros sobre Capital Próprio (JCP)

Para declaração do recebimento de JCP, ir ao item Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva/Definitiva dentro do anexo Fichas da Declaração.

Preencher o valor total recebido através de JCP na linha 8 (Outros rendimentos recebidos pelo Titular).

Opcionalmente pode ser criado um novo item com o nome JCP, caso você tenha outros rendimentos além de JCP.

2.4. Direitos de Dividendos ou JCP

Caso tenha ficado pendente o pagamento de algum dividendo ou JCP, isso é chamado de direito. Ir até Bens e Direitos dentro do anexo Fichas da Declaração.

Clicar no botão Novo, para acrescentar um novo direito.

Preencher Código com o número 59 (Outros créditos e poupança vinculados). Em Discriminação preencha o Nome e CNPJ da fonte pagadora e também o tipo de direito.

Para finalizar preencha o valor do direito no campo referente ao final do ano passado.

2.5 Alienação Isenta (até R$ 20.000,00/mês)

Para declaração de lucros sobre alienação de ações (vendas mensais não maiores que R$ 20.000,00), ir ao item Rendimentos Isentos e Não-Tributáveis dentro do anexo Fichas da Declaração.

Clicar no botão da linha 4 (Lucro na alienação de bens e/ou direitos de pequeno valor …)

Na janela aberta, preencha na linha A (Bens de pequeno valor) o valor total lucrado com a alienação de ações.

De maneira geral eu subtraio os prejuízos dos lucros e preencho esse campo caso o valor seja positivo.

3. Tesouro Direto

3.1. Custódia

Para declaração de custódia de títulos do Tesouro Direto (títulos públicos), ir ao item Bens e Direitos dentro do anexo Fichas da Declaração.

Clicar no botão Novo, para acrescentar um novo bem.

Preencher Código com o número 45 (Aplicação de renda fixa). Em Discriminação preencha com o Nome, quantidade e data de aquisição dos títulos.

Para finalizar preencha o valor de aquisição custodiado no final do ano retrasado e no final do ano passado.

3.2. Venda, vencimento ou pagamento de juros

Para declaração de venda, vencimento ou pagamento de juros dos títulos, ir ao item Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva/Definitiva dentro do anexo Fichas da Declaração.

Clicar no botão da linha 6 (Rendimentos de aplicações financeiras).

Abrirá uma janela para preenchimento da lista de rendimentos referentes a aplicações financeiras. Clique no botão Novo para acrescentar um rendimento.

Preencha a especificação do rendimento e o valor correspondente.

4. Contas

4.1. Corrente

Para declarar valores em conta corrente, ir no item Bens e Direitos dentro do anexo Fichas da Declaração.

Clicar no botão Novo, para acrescentar um novo bem.

Preencher Código com o número 61 (Depósito bancário em conta corrente no país). Em Discriminação preencha com o Nome e CNPJ do banco custodiante.

Para finalizar preencha o valor custodiado no final do ano retrasado e no final do ano passado.

4.2. Corretora

Para declarar valores em conta da corretora, ir no item Bens e Direitos dentro do anexo Fichas da Declaração.

Clicar no botão Novo, para acrescentar um novo bem.

Preencher Código com o número 69 (Outros depósitos à vista e numerário). Em Discriminação preencha com o Nome e CNPJ da corretora custodiante.

Para finalizar preencha o valor custodiado no final do ano retrasado e no final do ano passado.

Termina aqui, usem os comentários para esclarecer dúvidas. Não responderei a perguntas genéricas sobre IRPF, apenas as referentes a investimentos.

Nenhum investimento referenciado aqui é recomendação para compra, esse blog deve apenas ser usado para fins educativos. Sempre avalie onde você está investindo, leia muito sobre a modalidade de investimento e avalie se pode ser aplicado ao seu perfil de investimentos. Não me responsabilizo por qualquer decisão tomada por meio deste blog.
Anúncios

34 Respostas to “IRPF 2011 – Declaração de investimentos”

  1. jaber makiel dine said

    Feito com muita competencia e de forma simples e objetiva a publicação do artigo IRPF 2011 – Declaração de investimentos.
    Agradeço a idéia pois já estava sentindo muita dificuldade para preencher a minha declaração do IRPF2011.
    Parabens e espero que no próximo possa novamente buscar no site tais informações.

    jaber

  2. Julio said

    Ola? Obrigado pelas informações! Excelente pagina da internet!!! Vou recomendar para todo mundo que conheço! Ótimo, nota 10 é pouco!!!!

  3. Guilherme de Souza Rego said

    Sou agradecido pela ajuda.

    Muito objetivo e esclaredor.

    Conclui minha declaração através deste excelente tira duvidas.

  4. SERGIO MIRONI MATILDES said

    Fiquei impressionado com a objetividade e a simplicidade do artigo. Mas eu gostaria de aproveitar para lhe perguntar, onde que eu lanço venda de subscrição?

    Obrigado e tenho certeza de que e a duvida de muitos.

  5. Alberto said

    Boa Tarde,

    Comprei na bolsa em junho 2010, Direitos de subscrição de um determinado papel R$ + – 23.000,00 e vendi para a mesma empresa em julho de 2010 com lucro +- de R$ 40.000,00, a operação tanto na compra como na venda foi superior a R$ 20.000,00. você poderia me informar como devo declarar.

    obrigado
    beto

  6. Mário said

    Olá,
    Minhas dúvidas:
    a) Na compra de ações, se em 31/12/2009 tinha ZERO ações. Em 2010 comprei 100 ações à R$1,00 (cada) e paguei, digamos, R$0,45 pela corretagem, declaro R$0,00 em 31/12/2009 e R$100,45 em 31/12/2010 ( [100 * R$1,00] + R$0,45 ). Certo?
    b) Posso levar em conta os custos de custódia para aumentar o valor das ações (diminuirá o lucro por ocasião da venda)?
    c) E para o Tesouro Direto, como fica os valores pagos de Tarifa de Custódia?

    Desde já parabenizo pela objetividade do assunto apresentado!

    • Olá,

      a) Você declara R$ 0,00 para 31/12/2009 e R$ 100,00 para 31/12/2010.
      b) Você deve diminuir apenas o valor da venda com os custos. Os custos tanto da compra quanto da venda.
      c) O mesmo esquema, desconte na venda.

      Recomendo um planilha só para controle destes custos, fica muito mais fácil para declarar.

      Obrigado!

  7. Leonardo Cardoso said

    Parabéns pelo excelente artigo.

  8. Anna Clara said

    Meu caro, não conhecia seu blog. Mas seu post foi de tanta ajuda que a partir de agora tens uma nova leitora!
    Ainda não li nem um outro post, vou terminar a declaração primeiro, mas pareces ser do tipo que não complica as coisas.
    Seu feed já está no meu reader!

    Abraço!

  9. ingo Jorge said

    foi muito útil o esclarecimento

  10. Fhillus said

    Até que enfim vi um artigo decente sobre o assunto. De forma muito clara e objetiva você demonstrou para os leitores como se faz a declaração. Muito obrigado.

    Abraços

  11. Bernardo Falk said

    Fabrício Godoy – Apesar saber preencher a Declaração, verifiquei o quanto útil deve ser este seu trabalho para as pessoas que n/ tem como nos conhecimento para tal.
    Parabens! Apesar destas suas claras demonstrações ainda ocorrem algumas dúvidas na hora do preenchimento e achei muito legal Vc. poder se dispor a responder.
    Lembro aqui a necessidade de guardarem todos os documentos, notas e demais papeis durante 5 anos pois podem vir a serem convidados pela Receita para demonstrar as origens dos ganhos. Um abraço.

  12. Arlei said

    olá!, alguem me tira a dúvida sobre comra venda acoes:…..

    Compre e vendi em 2011 uma acao e obtive lucro. a Venda nao foi maior que 20.o000..
    Quero saber se lá em bens e direito eu informo além da compra dessa ação.. eu tenho de informar a VENDA dela, tenho???.

    Abs

  13. Angelica said

    Boa tarde,

    Gostei muito das suas explicações e me ajudaram muito. Muito obrigada.
    Mas gostaria de saber como declaro os Fundos imobiliários (aqueles que paguei IR e que tive prejuizo).

    • Para declaração dos Fundos Imobiliários (FII) vou dividir em 3 partes:
      – Custódia
      Igual ao item 3.1 (Tesouro Direto/Custódia), mas com o código 73.

      – Alienação
      Vá ao item Operações Fundo Invest. Imob. dentro do anexo Renda Variável.
      Preencha mês a mês os resultados obtidos, tanto positivos quanto negativos.

      – Aluguel
      Breve…

  14. Janaína said

    Ótimas explicações. Estão sendo de extremo valor para minha declaração. Eu gostaria de saber como eu faço para colocar o nome do banco em uma linha e o CNPJ na outra, como está nas suas imagens. Quando eu dou enter, ele vai para outro campo.

  15. Daniela said

    Fabricio, pode declarar lucro nas vendas mensais abaixo de 20.000 em Rendimentos isentos e nao tributaveis, item 15- Outros (especifique) ?

  16. Alessandro gagnor Galvão said

    Muito boas as informações sobre o Tesouro Direto. Os informes de rendimento de meus agentes de custódia não discriminam os ganhos com o TD; onde consigo esse tipo de informação, sem ter que tirar o extrato de todos os meses de todos os agentes de custódia? Obrigado.

  17. digiogo said

    Esse artigo ajudou e muito na hora de fazer a minha declaração, esclarecendo minhas principais dúvidas. Parabéns pelo excelente trabalho!

  18. Robinho said

    Fabrício, nunca será demais parabenizá-lo pela iniciativa e clareza deste trabalho. Já havia utilizado essa seção na declaração de IR no ano passado (2011). Tenho uma situação que me deixou com dúvida: imagine que eu comprei e vendi várias vezes um determinado ativo ao longo de 2011. Em 31/12, esse mesmo ativo fazia parte de minha carteira, logo devo declará-lo em “Bens e Direitos”. Não teria dificuldades em calcular a média ponderada para lançar o valor total correspondente, exceto pelo seguinte: zerei a posição neste ativo em diversas ocasiões. A situação real é essa: em 31/12/2010 tinha X papéis desse ativo. Zerei a posição ao longo do ano. Posteriormente, comprei esse mesmo ativo e sigo com ele até então. Como devo declarar esse ativo da maneira correta, visto que a média ponderada não é coerente para a forma como as operações foram realizadas? Forte abraço!

    • Vou criar um exemplo e depois explicarei como declará-lo.
      Nesse exemplo deve-se supor que o último dia que a posição foi zerada foi antes de 01/05.

      Ex:
      01/05 – Compra – 50 x R$ 10
      20/06 – Venda – 20 x R$ 15
      05/07 – Compra – 30 x R$ 12
      08/07 – Venda – 10 x R$ 18
      02/08 – Venda – 10 x R$ 25
      30/09 – Compra – 15 x R$ 21

      Para explicar a declaração do exemplo acima dividirei em 2 partes: custódia e alienação.

      – Custódia:
      Você deve calcular quantos papéis do ativo X você tinha em 31/12, que no exemplo acima resultou em 55 papéis.
      Depois calcular qual o custo para compra de cada um desses papéis.

      01/05 – R$ 10/papel – 50 papéis
      20/06 – R$ 10/papel – 30 papéis
      05/07 – R$ 11/papel – 60 papéis
      08/07 – R$ 11/papel – 50 papéis
      02/08 – R$ 11/papel – 40 papéis
      30/09 – R$ 13,73/papel – 55 papéis

      Posição em 31/12 de R$ 755

      – Alienação
      Para declaração de todas a vendas realizadas deve-se calcular da seguinte maneira.
      Usando o custo médio por papel como a tabela anterior, calcula-se:
      20/06 – 20 x R$ 10 = R$ 200 => R$ 300 – R$ 200 = R$ 100
      08/07 – 10 x R$ 11 = R$ 110 => R$ 180 – R$ 110 = R$ 70
      02/08 – 10 x R$ 11 = R$ 110 => R$ 250 – R$ 110 = R$ 140

      Total de lucro de R$ 310.

      É importante lembrar que no caso do cálculo de lucros (alienação), deve-se repetir esse cálculo em cada ciclo de “posicionado/não-posicionado”.

      • Robinho said

        Fabrício, obrigado pela rápida resposta e excelente exemplo para ilustração. Outra dúvida sobre este mesmo contexto: esse mesmo ativo X teve sua posição custodiada em 31/12 de 2010 (zerada ao longo de 2011) informada na seção “Bens e Direitos”. Como devo proceder com essa informação para este item já existente: zerar sua posição, incluindo um novo item para informar a nova posição custodiada referente a esse mesmo ativo ou atualizar sua posição com base nos totais custodiados em 31/12 de 2011?

      • Utilize o item existente para o ativo X com a posição de 31/12/2011.
        Não é necessário criar um novo item para o mesmo ativo.

  19. Ricardo Gobatti said

    Apenas sugiro uma correção no artigo, na parte sobre informar os rendimentos isentos por alienações mensais igauis ou inferiores a 20.000,00 esta sendo informado errado a utilização dal inha 04. Conforme poderão conferir no próprio programa, apertando a tecla F1 (Ajuda) dentro da ficha de rendimentos isentos e não tributados, encontraram a seguinte descrição na linha 15.

    Rendimentos Isentos e Não Tributáveis Outros (especifique) – linha 15
    Informe os rendimentos relativos a:

    – ganhos líquidos em ações negociadas à vista em bolsas de valores ou com ouro, ativo financeiro, cujo valor de alienação, mensalmente, seja igual ou inferior a R$ 20.000,00, para o conjunto de ações ou para o ouro, individualmente;

    Atenciosamente,

    Ricardo Leandro Gobatti
    Contador

  20. Guilherme Helzel said

    Fabrício,
    Parabéns pela iniciativa e pela clareza das informações prestadas.
    Abs,
    Guilherme H.

  21. […] a todos, nesse post é uma atualização do post do ano passado. E como o post anterior vou dar algumas dicas de como declarar alguns tipos de investimento à […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: